Nua

Eu acho que esse blog é a maior exposição que eu possa fazer da minha pessoa. Mais do que fotos ou alteração de status em redes sociais. Deve ser por isso sempre me assusto quando o Deixe-se acreditar tem picos de visitas…
Mesmo lendo as estatísticas do blog e conversando com Gal pelos comentários, muitas vezes sinto-me só aqui. É um lugar que escrevo o que eu quero e que pode ou não vir à público. Como se eu não soubesse que cada linha escrita aqui já nasce exposta a quem interessar.

Aqui merece uma ressalva:
Em relação à escrever o que eu quero eu realmente escrevo o que eu penso, com edições. Aprendi muito cedo que não posso escrever tudo o que penso, sem querer sofrer as consequências do que eu escrevi. Já fui perseguida por causa de um blog há oito anos e sei muito bem o que é isso.

Voltando ao assunto
Hoje me senti nua. Nua porque uma pessoa estava lendo posts e mais posts meus praticamente ao meu lado. Nua porque me exponho aqui de uma forma que não faço com outras pessoas. Nua por ter medo de ter sido muito clara onde não devia e muito duvidosa quando o ideal seria ter sido clara.
A agonia aqui não foi em busca de aprovação, e sim a expectativa de não ser mal compreendida.

“Ah, Felipe é de casa” – Eu me repeti algumas vezes. Foi necessário.

Anúncios

Um comentário sobre “Nua

Os comentários estão desativados.