Teorias de botequim (e de quem não bebe)

Tenho uma teoria sobre o almoço:

Independente da agitação ou calmaria do seu trabalho, em grande parte dos casos você sempre olha para o relógio por volta das 11h30. Sempre. E, não interessando se o tempo passou rápido ou devagar até este momento, o dia começa a se arrastar até a hora do ponto para o almoço.

É incrível! Repare nisso…

Quem não tem que bater ponto, nem espera tanto. Almoça logo (como eu mesma fazia anteriormente).

Ah, falando nisso, o meu almoço de hoje é saladona de cenoura, repolho e tomates cereja e cherry, sendo os tomates colhidos da horta de casa. Tudo temperado com azeite, sal e vinagre balsâmico (italiano, claro). Para completar uma torta de frango feita no liquidificador e sem glúten, claro.

Obs.: lógico que esse post foi escrito num curto espaço de tempo livre depois das 11h30 e antes da hora do almoço.

Anúncios

Um comentário sobre “Teorias de botequim (e de quem não bebe)

Os comentários estão desativados.