Até onde vale à pena comprar a alimentos especiais e industrializados?

Não é fácil entrar no mundo dos sem glúten porém, posso garantir que está muito mais acessível agora do que foi há anos atrás e boa parte dos alimentos sem glútens prontos acho que não vale a pena compra-los (e raramente os compro).

Quer bolo? Faça uma farinha sem glúten (que pode ser até semi-integral!) e substitua numa receita de bolo normal que você tem. Dificilmente dará errado, vá por mim! Faço isso há anos e com sucesso. Melhor do que comprar uma massa pronta para bolo que muitas vezes custa mais de 10 reais e ainda é industrializada.

Porque pagar tão caro por cookies pequenos e muitas vezes secos? Faça o seu! A minha próxima receita será de um cookie de pasta de amendoim (que muitas vezes fiz em casa mesmo) e é ótima! A receita rende, dá pouco trabalho e sai muito, muito mais barata.

Quer sequilho? Vou postar uma receita de sequilhos que quem come gosta. Uma delícia e difícil de comer só um. Juro que como a massa crua, enquanto ainda estou fazendo os biscoitos (não leva ovo).

Biscoito recheados e bolachas marias são complicados. Ainda não achei uma receita porém também não senti tanta falta. De resto, não tenho coragem de dar 21 reais num pacote de biscoito recheado. Há quem dê! Se eu der vou começar a trabalhar só para comer (como disse, comida especial é cara!)

Pão. Ahhh o pão. Esse é o fator crítico. Sabe aquele cheirinho de pão francês recém saído do forno? Só encontrei em algumas receitas usando a massa pronta da Schar (tem site próprio e cheio de receitas). Além de ser cara, não concordo muito em usar muitos industrializados em casa. Resultado: vamos nos aventurar na internet! Vou postar em seguida também a receita do recente pão australiano que eu fiz e o brioche que minha mãe faz. Todos dois são ótimos quentes ou frios.

E você faz pão em casa e reclama que fica duro rápido? Segredo: pão caseiro fica conservado por mais tempo se enrolado em um pano seco antes de guardá-lo. Aqui em casa tem pano de prato que serve apenas para isso. E duram 4 dias tranquilamente (depois disso, se sobrar – difícil – acaba mofando).

Macarrão? Nunca fiz em casa (para tudo se tem limites!) Consumo de duas marcas que adoro: Bifum para o macarrão tipo chinês e Urbano para penne e fusili. Todos os dois são macarrões de arroz e o Urbano é tão em conta que as vezes meu pai compra mais para ele comer, junto com meu irmão. Os dois não têm a limitação com o glúten. Já o Bifum é mais caro, vem menos porém cozinha em um minuto. Aliás, se você quiser, nem precisa de água quente (nesse caso são 5 minutos na água). Bem melhor que Miojo, não?

Quer comer algo diferente? Que tal fazer o seu próprio rolinho primavera? As folhas são compradas em casas especiais, não tem glúten e você pode recheá-los com o que desejar (normalmente faço de salada com frango desfiado) e o melhor, nem precisa fritar, caso deseje e assim, só vai usar água quente para poder modelar as folhas.

Ou seja, faça comida de verdade. É mais saudável e mais barato que comprar tudo pronto. O seu bolso agradecerá no final do mês.

Anúncios