Planilhas e Compras programadas

Já fiz uso de várias planilhas de economia domésticas e gastos porém nenhuma com sucesso real. As planilhas que são encontradas prontas na internet me deixam paranoica no início e relaxada no final de três meses de teste. Só que não é por isso que ficarei sem controle.

A melhor forma que eu achei foi fazer um calendário de desembolso e expectativas. Trata-se de uma planilha simples, onde cada aba representa um mês. Cada mês eu coloco o meu salário na primeira célula e vou especificando os meus gastos fixos e a expectativa dos cartões daquele mês. O que sobrar é o que eu tenho livre para gastar.

Já a programação de desembolso funciona assim: eu faço uma relação do que eu preciso comprar e vou priorizando de acordo com a necessidade, escolhendo a forma de pagamento (o que inclui a quantidade de parcelas, caso seja no cartão) e o mês em que ela poderá ocorrer. Isso controla as compras que são feitas por impulso já que a compra não identificada e priorizada dificilmente terá uma necessidade real para aquele momento (com exceção à emergência, claro).

Outro detalhe é limitar o valor máximo da conta de cartão para o mês seguinte. Para conseguir esse valor eu faço uma avaliação após o fechamento das faturas sobre as compras que eu não precisarei pagar no próximo mês. Com isso vejo qual será a redução da conta entre um mês e outro e o quanto eu posso gastar com aquele cartão no mês que vai entrar.

Uma dica é também verificar o percentual do salário gasto só com o pagamento de fatura dos cartões. Isso é um forte indicador que você está ou não se endividando demais. Nos últimos meses o meu percentual mais baixo foi de 30% (o que eu acho ideal para mim). Foi um controle a médio prazo realizado para não ficar sufocada no mês pós-férias.

Um ponto a ser considerado é investimento. Caso você invista de forma regular, considere isso como valor fixo. Ou seja, aquela sua poupança é sim um gasto e, para ter sucesso, você não deve levar em consideração o dinheiro a ser depositado naquele mês e muito menos o que você já tem guardado lá.

Ah, detalhe: tudo o que eu falei acima fica em um mesmo arquivo de Excel. Para mim não precisa ser bonito e sim ser funcional. Não tenho gráficos porque não senti a necessidade de colocá-los e a organização é melhor que a do meu quarto, juro! Acho que o ideal é descobrir o que funciona para você. Caso não encontre pronta, customize. Caso não dê certo, não desista. Comece com os dados essenciais e depois vá aumentando de acordo com a sua necessidade. Lembre-se apenas que a simplicidade pode ser o fator de continuidade nessa programação.

Para aqueles que querem algo ainda mais acessível, existem vários apps sobre o assunto porém, ainda não testei nenhum.

Anúncios