Feira da José Avelino e arredores em Fortaleza, para quem quer andar e fazer compras de roupas

No centro de Fortaleza e já bem perto do bairro de Iracema tem uma rua chamada José Avelino. Ela fica ao lado do Mercado Central e nela ocorre de Terça para Quarta e no final de semana uma feira de confecções que se estende por quarteirões e se juntam aos pequenos e diversos centros comerciais ao redor dessa rua.

Tem roupa de todo o tipo e de toda qualidade. De fábricas da própria cidade ou proximidades ou até algumas importadas da china. Nessa feira já comprei quase todas as peças básicas que uma pessoa pode ter num guarda-roupa, desde roupas íntimas até t-shirts e vestidos.

Sabe aquela frase “Se procurar, acha?” Se encaixa e muito nessa feira. Existem produtos que vemos em lojas de outros bairros pelo dobro do preço, existem inspired do último suspiro da moda, sendo que as peças que vão de roupas infantis à biju ou roupas de academia, passando pelo vestuário adulto.

Para os visitantes eu recomendo tomar cuidado com os Jeans. Vocês podem encontrar peças bonitas porém, os números não são padronizados e, como existem lojas são poucos e, sem sua maioria, o que existe são boxes em todos os cantos e ambulantes, falta espaço para experimentar. O que eu fazia era, se fosse em centros comerciais, tentava negociar com a vendedora a possibilidade de ir ao banheiro (e deixar uma amiga de ‘garantia’) ou ir aos sábados com uma calça ou bermuda de ginástica, o que facilitaria a prova de jeans.

Um exemplo de boa compra em local acessível: Para t-shirts brancas e com estampas legais, recomendo um box no corredor central do chamado Casarão que fica entre o Mercado Central e a Catedral Metropolitana. Tenho uma do pequeno príncipe atualmente que me custou R$11 alguns meses atrás. Dessa mesma loja tive uma preta e branca com estampa de Alice..

No momento o meu vestido preferido é um azul comprado num centro comercial da José Avelino. Ele é meio folgadinho e com um trançado na parte superior das costas e ombros que é lindo e custou míseros 40 reais (que ainda paguei com o cartão!).

Aos novatos (digo isso porque trabalhei muito tempo ali ao lado e, no último ano, dava para ir à pé de casa para a feirinha), recomendo cautela com os pertences. Ao lado tem uma favela e, em dias de feira, além de atrair trabalhadores como carregadores e vendedores de água ou comidas, atrai também gente mal intencionada, à espera de uma bolsa mais fácil.

Dessa vez não comprei nada por lá. O meu foco foi a Monsenhor Tabosa, que fica bem pertinho. Precisava de um vestido (em liquidação na loja Moda.com) para ir ao casamento de Diego e Lili (que infelizmente não tive condições físicas e psicológicas de ir), um sapato para combinar com o vestido novo e, por fim, o vestido longo e fluído que eu tanto desejava a desde o início do ano e que encontrei finalmente o ideal numa promoção na loja Produção.

Hoje preciso só de uma camisa preta ou branca lisa para chegar aonde quero no meu armário.

Anúncios