Glúten, o meu vilão

O glúten é o vilão da vez e virou moda uma dieta sem glúten. As pessoas trocam pães por tapioca (e acabam ingerindo mais carboidrato do que iria ingerir no pãozinho), comem pizza sem glúten da pizzaria do bairro ou camarão ao alho e óleo à beira da praia.

Mal sabem eles que isso não é nem um terço dos problemas de quem não teve opção, retirou o glúten do dia-a-dia. Existe um vilão ainda maior chamado contaminação cruzada. Esse sim é problemático. Para os perfeccionistas pode chegar a uma paranoia de leve. Vá por mim.

Essa tal contaminação cruzada é o maior risco daqueles que não podem consumir glúten já que não é obvio que aquele produto contém glúten e os nossos estabelecimentos não estão preparados para a pergunta. Grande parte, quando acha que sabe, confunde glúten com lactose.

Sim, já dei aula sobre o que é glúten e contaminação cruzada em alguns locais.

Abaixo uma listinha apenas dos possíveis pontos de contaminação cruzada. Este é o meu dia-a-dia e, como não tenho dermatite atópica ou semelhantes, não entrei no critério de cosméticos e produtos de limpeza sem glúten.

  • Alguém garante no restaurante que o pegador da salada só pegou a salada verde e não a salada com fusili?
  • Os molhos foram contém caldos prontos, molhos prontos ou espessante?
  • O óleo da fritura só se frita batatinha frita e não empanados, pastéis ou algo do tipo?
  • A esponja de prato estava limpa, sem resíduo ou se usa uma esponja exclusiva?
  • A forma de bolo (sem glúten original ou adaptado) foi enfarinhada com o que?
  • O pudim levou uma colherinha de espessante para ficar durinho?
  • A chapa da tapioca é exclusiva da tapioca ou esquentam pães?
  • A pizza sem glúten é aberta ou assada no mesmo forno da normal? Existe risco dos funcionários pegarem a massa com a mão suja de trigo?
  • Em casa a manteiga, geleia, cream cheese, requeijão ou qualquer coisa do tipo é compartilhado com o resto doa habitantes onde os demais passam o produto no pão/torrada/bolacha e colocam a faca novamente no produto?
  • O queijo é cortado com talher limpo?
  • O empório onde você compra farinhas é limpo e seguro para que não haja contaminação entre farinhas?
  • A borracha do liquidificador foi corretamente higienizada após aquele bolo de liquidificador?
  • O produto sem glúten está armazenado com segurança em relação não só a conservação do produto como também de outros alimentos que podem ter glúten?
  • Álcool? O barman faz uso de coqueteleira para o seu drink? Como é feito essa higienização? Lembre-se que a vodca e o gim podem conter glúten também

E ainda tem gente que não entende como é difícil comer fora de casa, que sou uma pessoa ‘difícil’ de chamar para sair e que acha ‘legal’ eu levar almoço para trabalho e lanches na bolsa. Não, essa não foi a minha opção e aprendi a conviver depois de 6-7 anos sem sair da dieta, com apenas contaminações esporádicas porque o mundo parece ser feito com glúten.

O texto foi escrito após uma contaminação. Sexta passada eu estava voltando da fisioterapia quando decidi comer uma batatinha frita de rua. Assumi o risco. Após fazer o pedido e enquanto o rapaz preparava eu percebi que eles também vendiam pastel e só existia um fritadeira com óleo. Não, eu não cancelei o pedido ou joguei fora a batata. Acabei comendo e, uma das primeiras coisas que eu precisei fazer quando cheguei em casa foi tomar medicação.

As vezes cansa.

Anúncios