That Sugar

Nos últimos 10 dias andei tendo um cuidado maior com o que comida, diminuindo ainda mais o industrializado, o doce e carboidratos em geral. É interessante como o nosso organismo se adapta fácil.

Nesse meio tempo comecei a ler um livro (que mais tarde volto para falar) e assisti ao assustador documentário australiano That Sugar.

sugar_film_poster_1aeafsr-1aeaft2

Para quem não conhece, Damon se cerca de médico, patologista, nutricionista para consumir a quantidade média de açúcar de um australiano por dia e vindo apenas de alimentos industrializados e, parte deles, light. A quantidade é assustadora: 40 colheres de chá.

Sou uma pessoa que, normalmente, come muito pouco industrializado ou alimentos que não foram cozinhados por mim ou pelos meus pais, por conta de contaminações com o glúten porém fiquei super assustada em perceber a quantidade de açúcar escondido em coisas que o pessoal come ou bebe e acha que está fazendo o bem como: Iogurte light, cereais matinais, sucos de caixinhas ou leites fermentados.

Esse documentário veio reafirmar o que eu ando pensando: não interessa calorias e sim a origem do alimento e, nem sempre a gordura é a vilã. Há muito tempo percebi que açúcar e carboidratos (que viram açúcar depois) não me deixam satisfeitas como uma boa salada com alguma proteína e bastante azeite. Tá ai a prova.

Damon comeu facilmente as 40 colheradas (algumas vezes tendo que se controlar para não extrapolar). Consumindo em média a MESMA quantidade de calorias que ingeria antes, com a sua alimentação saudável, ganhou uns bons centímetros de cintura e uns quilinhos a mais.

Repense o que se come e assista That Sugar. Vale a pena.

Imagem daqui

Anúncios