Ansiedade e essa moda do Projeto Rapunzel

fita-metrica

Eu sei de algumas bloggers e/ou vloggers fazendo um tal de projeto rapunzel para crescimento capilar só que, acho que isso é a ponta do iceberg. Não sei vocês, só que estou vendo tantos produtos que se autodominaram bombas capilares e parece que mais serão lançados. São tantos shampoos, tônicos e cia que daqui há um ano e meio já estou esperando a metade da população feminina com cabelo na bunda. Isso porque não comentei sobre vitaminas para uso oral.

Sei que a brasileira realmente tem a preferência por cabelos longos, por achar mais femininos só que não sei de onde saiu essa moda de aceleração do crescimento. Talvez seja pela quantidade de gente assumindo cachos e enfrentando o big chop e o fator encolhimento.

Ainda acho isso muito estranho. Acho melhor ter um cabelo bem cuidado e bem cortado do que um cabelo longo, por exemplo. Outro detalhe, o cabelo curto é um exercício de paciência e contra ansiedade. Porque? Vamos lá…

Sabe aquela história que cabelo curto dá menos trabalho? Pura lenda urbana. Quanto mais curto ele estiver, mais difícil esconder a bagunça! Eu, por exemplo, após o último corte, pela manhã e antes de fazer xixi, eu olhava e ajeitava o estado do meu cabelo! Hoje ao menos faço isso junto com o resto das atividades pós-sono como escovar os dentes e lavar o rosto.

O cabelo curto também é um exercício de controle. Meu cabelo não define sozinho, nunca definiu e agora só está definindo por conta da fitagem, de cremes mais pesados e, alguns dias géis. E é bem volumoso. Não sou cacheada e sim ondulada porém, sempre gostei de saber por onde o meu cabelo anda. Resumindo: ao natural ou perto de fazer algum procedimento químico o meu cabelo vivia preso. Hoje já não me importo tanto com isso e nem ligo quando minha mãe pergunta se o penteei (kiakiakiakiakia).

Resumindo: Amiga, quem tem TAG sou eu e nem estou me importando quantos centímetros o meu cabelo cresce por mês (nunca medi). Aproveite o momento! Cada comprimento de cabelo tem suas peculiaridades e é bem legal aprender a conviver com elas. Ah, e tome cuidado com hipervitaminoses já que o nosso couro cabeludo é bem vascularizado, ok?

Obs: o texto já explica o foco porém, não custa deixar ainda mais claro que essa é a minha opinião e não estou falando de crescimento por queda e sim na maciça vontade de ter cabelos mais longos.

Imagem daqui

Anúncios