Ditadura da eterna juventude e até onde cheguei contra minha vontade

Tenho 33 anos, muitos cabelos brancos, um bigode chinês, sem rugas na testa e pés de galinha (ainda) devido a minha boa genética (ainda bem que meus pais não me passaram apenas alergia e uma pele que mancha fácil!). O meu ritual de pele é acompanhado pela minha dermatologista, assim como todo o qualquer procedimento que eu fiz ou venha fazer.

efemero

Vou envelhecer. É a lei da natureza, mas quero envelhecer bem. Quero que continuem achando que não pareço à idade que tenho. Só que de onde tiramos esta ideia que é tão bom parecer mais jovem do que é realmente?

Isso me incomoda. É realmente necessário? Só que o que mais me incomoda é estar geneticamente predisposta a ter cabelos brancos mais cedo e me sentir na obrigação de tingi-los. Não somente para continuar a parecer mais jovem do que eu sou e não entregar a idade como também para não parecer relaxada.

Não sei de onde tiraram a ideia que a mulher com cabelos brancos são relaxadas. Eu tenho uns 20% da cabeça branca já e devo tonalizar sempre a cada 20 dias, principalmente porque uso Henna (por ser mais natural) ou tonalizante sem amônia (que, assim como Henna em creme, tem efeito mais temporário nos fios além de agredir menos) e lutei por cinco meses para voltar a tonalizar ou não.

Lutei sim e perdi por falta de ação minha. Eu queria me ver grisalha. Queria fazer uma decapagem ou shampoozada nos fios para retirar os depósitos artificiais e decidir se queria ser grisalha ou não. Queria me ver sem artifícios! Como minha queda voltou e eu estava com medo de ficar careca, não fiz em casa e, para cabeleireiro nunca conseguia juntar tempo x dinheiro x disposição. Então, num dia de tédio do carnaval eu taquei Henna.

A coisa é tão absurda que em 2016 eu, Mariana, já passei máscara de cílios à prova d’água para não dar impressão errada em uma entrevista de emprego enquanto estava tendo queda profusa e intensa dos fios (imagine como foi para tirar a LashLove dos fios!). Eu também não entendo porque eles, os homens, são grisalhos experientes, charmosos e nós relaxadas. Por mesmo que eu tenho que andar toda montada enquanto eles podem desfilar de cabelos brancos e ainda sair num sábado à noite de bermuda, chinelo e camisa de time?

Aliás, será que eu tenho mesmo? Já parei de fazer e pintar as unhas com regularidade por achar pura falta de tempo. Já usei short, sandália e camiseta em locais que antes não iria nem matando. Não entenda mal. Quero me sentir bonita só que aos olhos certos e não aqueles que só olham os esmaltes ou a raiz crescida. Quero ser bonita porque minha mente é atraente, porque meu corpo conta uma história com suas marcas, cicatrizes (tenho duas que juntas tem 15 cm inclusive e que nunca me incomodaram ou nunca me impediram de usar alguma roupa em específico) e dores. Infelizmente dores porque estas eu tenho que aprender a conviver.